ÁREA RESTRITA    
Login    Senha   
Página Incial
Técnicos Tributários participam de assembleia conjunta dos servidores públicos
Em coletiva de imprensa, Afocefe apresenta proposta para Estado superar acrise
Afocefe apresenta ao presidente da Assembleia Legislativa estudo que aponta saída para crise
NEWSLETTER
Assine a newsletter do AFOCEFE Sindicato e receba notícias por
e-mail:
Nome:
E-mail:
Notícias

Governador procura alternativas para equilibrar orçamento

06/02/2004
O governador Germano Rigotto afirmou na manhã desta sexta, dia 6, em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, que as finanças do Estado estão "enforcadas". O governo prevê um déficit nas contas públicas de R$ 1,6 bilhão em 2004, e o pagamento dos salários do funcionalismo pode ser comprometido. O governador reúne-se às 10h com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para negociar formas de preservar as receitas do Rio Grande do Sul.
– O Estado está sufocado. A cada mês é uma luta para pagar o funcionalismo em dia, e só neste ano temos uma previsão de déficit de no mínimo R$ 1,5 bilhão nas contas do Rio Grande do Sul. Precisamos encontrar alternativas para manter investimentos e pagamentos em dia – ressaltou Rigotto.
Após apresentar o projeto de ampliação da General Motors em Gravataí ao presidente Lula, Rigotto pretende rever a dívida dos Estados com a União e propor a desburocratização de repasses de verbas para as unidades federadas.
A apresentação dos novos investimentos da GM no Estado será feita pelo presidente mundial da montadora, Richard Wagoner, e pela direção da GM no Brasil. A empresa anunciou nesta quinta a destinação de US$ 240 milhões para a unidade gaúcha, onde será montado um novo modelo da marca Chevrolet e estruturada uma unidade voltada para a exportação.
Após reunião com a direção da GM, Rigotto deve conversar com o presidente sobre a dívida do Estado com a União. Conforme o governador, atualmente cerca de 18% de toda receita que é arrecadada e aportada no Rio Grande do Sul acaba destinada ao governo federal.
– Este percentual é insustentável, muito alto, e compromete o equilíbrio das contas estaduais – afirmou.
O chefe do Executivo estadual pretende obter a liberação de R$ 8,5 bilhões negociados como compensação à desoneração das exportações. Rigotto ainda deve abordar questões relativas à Medida Provisória (MP) que destina 25% dos recursos da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) para os Estado.
Embora afirme que a situação das finanças é preocupante, o governador garantiu que não privatizará estatais ou recorrerá ao Caixa Único para manter os salários em dia. Fonte: CLICRBS Data: 06/02/04

VOLTAR
Print

Enviar a um amigo

Rua dos Andradas, 1234, 21º andar - Porto Alegre/RS - CEP 90.020-008
Fone: (51) 3021.2600 - Fax: (51) 3021.2627 - e-mail: afocefe@afocefe.org.br