ÁREA RESTRITA    
Login    Senha   
Página Incial
Técnicos Tributários participam de assembleia conjunta dos servidores públicos
Em coletiva de imprensa, Afocefe apresenta proposta para Estado superar acrise
Afocefe apresenta ao presidente da Assembleia Legislativa estudo que aponta saída para crise
NEWSLETTER
Assine a newsletter do AFOCEFE Sindicato e receba notícias por
e-mail:
Nome:
E-mail:
Notícias

Sai hoje decisão sobre pontos polêmicos do IPE

17/02/2004
O governo do Estado define pontos polêmicos do projeto que irá alterar o sistema previdenciário dos servidores públicos apenas cinco horas antes de enviá-lo à Assembléia Legislativa. O Executivo convocou às pressas reunião com o conselho político hoje, às 9h, porque não obteve consenso sobre a manutenção do pagamento das pensões e o aumento da contribuição dos policiais militares. O projeto original prevê o fim do benefício aos cônjuges dos futuros servidores públicos, garantindo a pensão apenas a quem comprovar que recebe vencimento inferior a um salário mínimo. A reforma da Previdência nacional estabeleceu que, para os atuais pensionistas, será mantido o total da remuneração do funcionário em vida. Para os novos, será integral até R$ 2,4 mil. Os que excederem esse valor terão redutor de 30%. No Rio Grande do Sul, a idéia do governo é acabar com a pensão automática dos cônjuges dos futuros funcionários, mas o conselho político poderá reverter essa situação, mantendo a alteração igual à que foi feita na reforma da Previdência aprovada pelo Congresso Nacional. Quanto à contribuição previdenciária dos policiais militares, o projeto do governo gaúcho estabelece aumento automático de 7,4% para 11%. Porém, poderá voltar atrás por pressão feita pela categoria. Quando aprovada a reforma da Previdência nacional, foi excluído o aumento da contribuição dos militares, mantendo o percentual em 7,4%. Qualquer mudança depende de legislação específica, que ainda não foi elaborada pelos parlamentares no Congresso.
Se o conselho político do Estado optar pela alteração desses pontos, reduzindo o impacto da reforma, o Executivo terá de mudar rapidamente os projetos, já que o governador Germano Rigotto levará às 14h as propostas para a Assembléia Legislativa. Além dessas mudanças, a reforma estadual prevê a redução da alíquota de 3,6% para 3,1% do plano de saúde. A dependência médica ficará garantida somente aos cônjuges que comprovarem dependência financeira e haverá aumento da contribuição previdenciária de 5,4% aos aposentados e de 7,4% aos servidores ativos para 11%.
Fonte: Correio do Povo data: 17/02/2004


VOLTAR
Print

Enviar a um amigo

Rua dos Andradas, 1234, 21º andar - Porto Alegre/RS - CEP 90.020-008
Fone: (51) 3021.2600 - Fax: (51) 3021.2627 - e-mail: afocefe@afocefe.org.br