ÁREA RESTRITA    
Login    Senha   
Página Incial
Técnicos Tributários participam de assembleia conjunta dos servidores públicos
Em coletiva de imprensa, Afocefe apresenta proposta para Estado superar acrise
Afocefe apresenta ao presidente da Assembleia Legislativa estudo que aponta saída para crise
NEWSLETTER
Assine a newsletter do AFOCEFE Sindicato e receba notícias por
e-mail:
Nome:
E-mail:
Notícias

AL reforça negociações com a União

26/02/2004
A Assembléia Legislativa anunciou ontem apoio ao Executivo gaúcho nas negociações com a União para solucionar a crise financeira do Estado. No encontro do governador Germano Rigotto com os líderes das bancadas, à exceção do representante do PT, com o presidente da AL, Vieira da Cunha, e com parte do secretariado, foi aventada a possibilidade de ingresso de ação judicial pedindo a suspensão ou a redução do pagamento da dívida com a União, a liberação do repasse, em atraso desde janeiro, de parcelas da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) e o ressarcimento do Fundo de Compensação das Exportações. Hoje, uma comissão de deputados irá verificar a atual situação das contas estaduais e, em função da urgência do Estado na liberação de recursos para o pagamento integral da folha de fevereiro, com o planejamento de ir, na próxima segunda-feira, a Brasília, para encontro com a equipe econômica federal. 'Não podemos admitir que falte sensibilidade política ao governo federal para resolver esse problema', disse Vieira da Cunha.
Rigotto conversou ontem com o presidente Lula por telefone e voltou a dizer que a liberação dos recursos 'não seria um favor' da União, mas sim um direito do RS. Rigotto disse acreditar em uma solução rápida, já que as negociações estão avançadas. Para Rigotto, a via judicial poderá ser uma alternativa, mas ainda há espaço para o entendimento. 'Estamos chegando ao limite', desabafou.
Consciente de que não irá receber a totalidade dos recursos a que tem direito imediatamente, o Estado pleiteia a liberação de outros créditos, como os previdenciários, e o ressarcimento de obras realizadas. O comprometimento da dívida e o Fundo de Participação das Exportações são consideradas 'questões estruturais'. Para o secretário estadual da Fazenda, Paulo Michelucci, a parcela da dívida mensal deveria ser de 6% da receita líquida, contra os atuais 18%.
Fonte: Correio do Povo Data: 26/02/2004

VOLTAR
Print

Enviar a um amigo

Rua dos Andradas, 1234, 21º andar - Porto Alegre/RS - CEP 90.020-008
Fone: (51) 3021.2600 - Fax: (51) 3021.2627 - e-mail: afocefe@afocefe.org.br